Livros

“Terra Negra”


Sobre a Obra:

Em Terra Negra, Timothy Snyder apresenta uma nova explicação para a grande atrocidade do século XX, revelando os riscos que corremos no século XXI. Tendo como base novas fontes de informação vindas a Europa do Leste e testemunhos esquecidos de sobreviventes judeus, Terra Negra reconta o genocídio dos judeus como um acontecimento que ainda nos é próximo, mais compreensível do que gostaríamos de admitir e, desse modo, ainda mais assustador. Ao tornarmos as lições do Holocausto numa nota de rodapé, falhamos em compreender a modernidade, colocando o futuro em risco.

O início do século XXI começa a assemelhar-se com o início do século passado, à medida que a preocupação com comida e água acompanha os novos desafios ideológicos que se colocam globalmente. O nosso mundo está mais próximo do de Hitler do que gostaríamos de admitir e, para salvá-lo, é necessário encarar honestamente o Holocausto e nós mesmo, como somos. Original e profundamente fascinante, Terra Negra demonstra que o Holocausto não é apenas História – é, também, um aviso.

Sobre o Autor:

Timothy Snyder é professor catedrático de História na Universidade de Yale. É o autor de Terra Sangrenta (Bertrand, 2011), vencedor do prémio literário da Academia das Artes e Letras Americanas, do Prémio Hannah e do Leipzig Book Prize for European Understanding. É, atualmente, colaborador regular da The New York Review of Books e do Times Literary Supplement, tendo colaborado anteriormente como editor da The New Republic. Vive em New Haven, Connecticut.

 

Advertisements
Livros

“Ser Feliz no Alasca”


Sobra a Obra:

«Em que nos tornaremos depois de aplicar o que é apresentado neste livro? Nada mais nada menos que em pessoas especiais: extremamente fortes e saudáveis. Atualmente, devido às neuroses existentes, apenas 20 por cento das pessoas o são. Se trabalharmos conscientemente estes conteúdos, poderemos chegar a ser indivíduos muito centrados no presente.
Em certa ocasião, ouvi dizer a seguinte frase: “Um bom monge é aquele que faz poucas coisas, mas as poucas que faz, fá-las muito bem.” Quando alcançarmos a boa forma mental, o dia fluirá naturalmente, de satisfação em satisfação. Porque em toda a parte encontraremos oportunidades de fazer algo de belo e o “doce presente” será o nosso lar, independentemente dos estados mentais. Quando somos vulneráveis, fazemos a distinção entre “estar bem” e “sentir-se em baixo”, porque vivemos as emoções negativas de uma forma extrema.

Contudo, as pessoas mais saudáveis vivenciam os momentos negativos de forma muito suave, inclusivamente sabem até desfrutar também da ligeira tristeza ou do nervosismo. Na verdade, são muito estáveis e sabem observar a realidade com olhar de poeta. Com a terapia cognitiva ativamos o nosso olhar para a beleza, por isso poderemos concentrar-nos muito mais e melhor nas coisas belas que nos rodeiam: as caras bonitas, as enormes árvores das nossas cidades…

Poucas coisas existem que transmitam maior plenitude do que apreciar intensamente os pequenos prazeres da vida e agradecer o facto de estarmos vivos. Isso acontecerá de forma continuada e espontânea.»

 

Sobre o Autor:

 Rafael Santandreu é psicólogo, com consultório em Barcelona. Depois de ter lecionado na Universidade Ramon Llull, teve a oportunidade de estudar e trabalhar com o célebre terapeuta Giorgio Nardone, em Itália. Atualmente dedica-se, para além da prática clínica, à formação de médicos e psicólogos.

 

Livros

Novo álbum de Astérix chega hoje às livrarias


“Astérix e a Transitálica” leva os gauleses numa corrida em que também participam lusitanos

Chega hoje às livrarias portuguesas o 37.º álbum das aventuras de Astérix, Obélix e dos restantes gauleses. As Edições ASA disponibilizam versão em português, em simultâneo com a edição original francófona e outras edições que, no seu conjunto, totalizam 5 milhões de exemplares, em 16 línguas, em 25 países. A edição em mirandês está prevista para o próximo mês de novembro.

Após “Astérix entre os Pictos” (2013) e “O papiro de César” (2015), este é o terceiro livro assinado por Jean-Yves Ferri (argumento) e Didier Conrad (desenho), sempre sob a supervisão benevolente de Albert Uderzo.

Cumprindo a regra de alternar uma aventura caseira com uma viagem, desta vez Astérix e Obélix rumam à Península Itálica, de que até agora apenas conheciam Roma, que visitaram em “Astérix Gladiador” (1964) e “Os Louros de César” (1972). O pretexto é a participação numa corrida de quadrigas, organizada por Júlio César para provar a excelência das vias romanas – cujo estado, então como hoje, deixa muito a desejar, apesar de conduzirem sempre a Roma. A abertura aos povos do Mundo Conhecido, vai congregar, para além dos gauleses, godos, persas, bretões e outros, entre os quais uma dupla lusitana, com aparições recorrentes e um inesperado protagonismo final.

O principal adversário dos gauleses será Coronavirus, o auriga romano, cuja identidade é protegida por uma máscara dourada, segredo que, durante a narrativa, será duplamente desvendado, de forma surpreendente.

Ferri e Conrad revelam neste álbum maior à-vontade, notando-se que começam a moldar, progressivamente, os gauleses à sua forma de narrar e às ideias que pretendem introduzir. Prova disso, é o maior protagonismo dado a Obélix, que conduz a quadriga gaulesa, sendo Astérix apenas o seu co-piloto.

A corrida servirá igualmente para mostrar algumas maravilhas naturais e arquitectónicas, deixar um cheirinho da gastronomia local e permitir aos dois heróis cruzar-se com personalidades italianas bem conhecidas do desporto, da arte e da política.

 

Source:https://www.jn.pt/artes/interior/novo-album-de-asterix-chega-hoje-as-livrarias-8855225.html

Livros

“A Febre das Tulipas”


Sobre a Obra:

Amesterdão, início do século XVII.
Sophia tem 24 anos e está casada com o velho Cornelis Sandvoort, que espera que ela lhe dê o herdeiro por que tanto anseia desde que perdeu a primeira mulher e os dois filhos. Mas a bela Sophia não o ama nem é feliz, e só aceitou casar com ele para salvar a família da miséria. Sente-se aprisionada naquela casa enorme, rodeada de riquezas provenientes do comércio de especiarias a que o marido se dedica, e tendo como única companheira e confidente a criada, Maria.

Porém, tudo muda quando Cornelis decide contratar o jovem e talentoso Jan Van Loos para lhes pintar o retrato. Sophia e o pintor apaixonam-se desesperadamente um pelo outro e decidem pôr em prática um plano para enganar Cornelis. Mas o seu primeiro obstáculo é a falta de dinheiro – e é assim que também eles se veem contagiados pela febre das tulipas, um negócio muito rentável recentemente descoberto pelos Holandeses.

À medida que o quadro progride, também a ambição, o desejo e os sonhos do jovem casal se intensificam. E a traição rapidamente se transforma num perigoso jogo impossível de parar…

Sobre o Autor:

Deborah Moggach – Autora de dezasseis romances de sucesso e de duas coletâneas de contos. Reparte o seu tempo entre a escrita de livros e de argumentos para filmes e séries televisivas tendo sido nomeada para vários prémios pelo seu trabalho. Já presidiu à Sociedade Britânica de Autores e trabalhou na Comissão Executiva do PEN.

 

Livros

“A Livraria dos Destinos”


Sobre a Obra:

No mundo da Nightingale Books serve-se romance e a cura para um coração partido. Este é o sítio onde as melhores histórias não se encontram apenas nas páginas dos livros, mas nas vidas dos que por lá passam.
Depois da morte do pai, Emilia regressa a Peasebrook para gerir a velha livraria da família, Nightingale Books — o sonho de qualquer bibliófilo e um refúgio para os moradores desta pequena vila. Mas agora que está responsável pelo seu futuro, Emilia terá de afastar potenciais compradores, ao mesmo tempo que tenta cumprir o último desejo do pai.

Uma livraria extraordinária com pessoas extraordinárias…
Desde a mulher que a visita há anos, ao recém-divorciado que tenta reaproximar-se do filho, e ainda a tímida chef de cozinha que se apaixona na secção de culinária… há algo de magnético neste sítio. Até Emilia sente as forças da livraria a conspirarem por si quando se cruza com um homem a quem não consegue ficar indiferente. Com todos a depender dela, conseguirá Emilia encontrar um destino feliz para a livraria e os seus leitores?

 

Sobre o Autor:

Veronica Henry é filha de militares, o que a levou a mudar várias vezes de cidade e de escola. Formou-se em Estudos Clássicos, na Universidade de Bristol, e complementou a sua formação com um curso de secretariado bilingue. Após a conclusão, trabalhou como assistente de produção na radionovela britânica The Archers, que lhe deu bases para trabalhar como guionista numa estação de televisão.

Em 2000, publicou o seu primeiro livro e desde então a sua obra cresceu, tendo mais de 15 livros no currículo e muitos artigos publicados na imprensa.

Para saber mais sobre a autora, visite: http://www.veronicahenry.co.uk

 

!Random!

♥Aviso: Férias!!!


Olá!

A partir de amanhã e até o dia 26, estarei ausente do blog, mas é por um bom motivo: vou estar de férias com o meu LOVE.

 No ano passado estivemos em Paris, mas este ano vamos visitar, Bruxelas, Bélgica e a Holanda. Já estávamos a precisar destas férias depois de um longo ano de trabalho.

Voltarei cheio de energia e novidades para o blog. Continuem a ler e a ouvir muita música.

Podem também seguir a minha viagem através das fotos que vou colocando no instagram.

Até Breve!!!!

Livros

“Elza, Minha Luz”


Sobre a Obra:

A HISTÓRIA INSPIRADORA E EMOCIONANTE DA FORÇA DE VIVER UMA MULHER.
Elza, Minha Luz é o relato de uma história verídica, passada no Sul de Portugal, e escrita a quatro mãos por duas jornalistas algarvias. Cumpre-se, desta forma, um pedido feito por Elza, a figura central deste livro: alertar o mundo para todos os pequenos e grandes sinais do corpo quando se trata de cancro. Mas Elza, no seu diário, deixou ainda notas sobre a forma como lidar com a doença em família, o que fazer, como falar com os filhos.

Esse diário inspirador e comovente de uma jovem mãe alegre e cheia de luz, que morreu aos 39 anos vítima de um cancro fulminante, é a principal fonte deste tributo, que conta ainda com testemunhos da família, amigos e especialistas da doença. Um livro tão pessoal como informativo, tão emocional como esclarecedor, que nos alerta, nos conforta e nos faz celebrar a vida.

 

Sobre o Autor:

Edite Esteves, é jornalista e escritora nasceu em Faro, há 72 anos. Com formação em Filologia Germânica na Faculdade de Letras de Lisboa, exerceu jornalismo durante 33 anos no jornal A Capital, onde foi chefe de redação-adjunta, redatora-principal, grande repórter, editora, colunista e cronista. Foi formadora no Cenjor – Centro Protocolar de Formação Profissional para Jornalistas. Autora do livro Irene – É Possível Renascer, colaborou na antologia de poesia e prosa Nas Margens da Solidão, em prol da SOS Voz Amiga. É editora e jornalista da revista Autores, da Sociedade Portuguesa de Autores.

Almerinda Romeira, é licenciada em Comunicação Social, com especialização em Jornalismo, pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, é jornalista desde 1988. Integrou os quadros de A Capital, O Independente, Fortunas & Negócios e OJE. Editou o 1º. Emprego, do Correio da Manhã. Atualmente exerce a profissão no Jornal Económico e colabora com o Jornal do Algarve.

 

 

Receitas

Cooking: Frango com tangerina e arroz de chá verde


A tangerina é rica em vitamina C e o chá verde é famoso pelo elevado teor de catequinas isoflavinas.

Ingredientes (para 4 pessoas):

½ litro de água
3 saquetas de chá verde
1 pitada de sal
370 g de arroz integral
Azeite a gosto
4 peitos de frango desossados e sem pele
1 dente de alho picado
1 lata (300 g) de tangerina em calda
1 colher de sobremesa de chilli

 

Modo de preparação:

Numa panela, aqueça água até à ebulição. Afaste-a do lume, adicione as saquetas de chá e deixe repousar durante cerca de cinco minutos. Junte o arroz e cozinhe-o até ficar no ponto. Numa frigideira com azeite, cozinhe os peitos de frango até ficarem dourados de ambos os lados. Retire do lume e emprate.
Adicione o alho à frigideira e salteie-o. Misture com o chilli e as tangerinas e o seu sumo. Deixe cozinhar durante dois minutos e verta a mistura sobre os peitos de frango que já estão no prato. Junte o arroz de chá verde e está pronto a provar!

 

 

Musica

Lindsey Stirling – Brave Enough (Album)


Brave Enough is the third studio album by American electronic musician Lindsey Stirling, released on August 19, 2016. The album features Christina Perri, Dan + Shay, Lecrae, and several other vocalists. The album is composed of six instrumental tracks and eight tracks with featured vocalists. On June 28, 2016, the music video for “The Arena”, the first single from the album, was debuted. On July 15, the second single, “Something Wild” featuring Andrew McMahon was released and the music video was released on August 3. “Something Wild” also featured as the end credits song for the Disney film Pete’s Dragon. On August 6, the third single, “Prism”, which was produced by Robert DeLong, was released.

Tracklist:

01. Lost Girls
02. Brave Enough (feat. Christina Perri)
03. The Arena
04. The Phoenix
05. Where Do We Go (feat. Carah Faye)
06. Those Days (feat. Dan + Shay)
07. Prism
08. Hold My Heart (feat. ZZ Ward)
09. Mirage (feat. Raja Kumari)
10. Don’t Let This Feeling Fade (feat. Rivers Cuomo & Lecrae)
11. First Light
12. Love’s Just a Feeling (feat. Rooty)
13. Something Wild (feat. Andrew McMahon In the Wilderness)
14. Gavi’s Song
15. Waltz (Bonus Track)
16. Afterglow (Bonus Track)
17. Powerlines (Bonus Track)
18. Forgotten Voyage (Bonus Track)

OVERALL RATING
starstarstarstarstar
5 stars

Buy The Original Support the Artist

Livros

“O Rapaz que contava Histórias”


Sobre a Obra:

Nomeado em 2017 para o Carnegie Medal e o Guardian Children?s Fiction Prize.

As histórias não podem ser aprisionadas.

Subhi é um rapaz cheio de sonhos. Desde que nasceu, vive com a mãe e a irmã num campo de detenção permanente de refugiados. Nunca conheceu nada para lá das cercas e das tendas de lona, mas a sua imaginação não tem limites.

Todas as noites, Subhi ouve o longínquo canto das baleias e escuta o que os pássaros vêm sussurrar-lhe ao ouvido. As histórias que ouve, que lê e que conta tornam-se o centro da sua vida.

Até que, um dia, Subhi conhece Jimmie, uma menina que vive do lado de lá da cerca de arame. Ela traz consigo um caderno escrito pela sua mãe, já falecida. Mas Jimmie não conhece as letras e é Subhi que lhe lê as histórias daquele livro tão especial e mágico. Cada conto dá lugar a uma revelação. Cada revelação dá lugar a novas histórias contadas dos dois lados da cerca. Pelo caminho, uma amizade profunda vai crescendo, trazendo consigo o conforto e a coragem de que Subhi e Jimmie vão precisar até conquistarem, finalmente, a liberdade.

Sobre o Autor:

Zana Fraillon nasceu em Melbourne, na Austrália, mas passou a sua infância em São Francisco, nos Estados Unidos.

Já escreveu livros para crianças e jovens de diferentes idades. Quando não está ocupada a ler ou a escrever, adora explorar museus e recantos secretos espalhados pela cidade. Na sua opinião, ambos oferecem aquela mesma emoção que se sente ao abrir um livro: tudo pode acontecer.

A autora regressou recentemente à sua terra natal, onde mora com os três filhos, o marido e dois cães.

 

 

«Um estrondoso romance sobre a força transformadora das histórias.» – Publishers Weekly