Vale a pena visitar...

O novo brunch da Miss Pavlova é para todos os dias


Vários tipo de ovos, bruschettas, panquecas, smoothies bowls, bebidas de café e cocktails são apenas uma parte do Mr. Brunch, a mais recente novidade da Miss Pavlova, que está disponível todos os dias, a toda a hora.

Desde o início de outubro que há mais um brunch no Porto. O Mr. Brunch chegou à Miss Pavlova e está presente todos os dias, a toda a hora, com sugestões de pratos vegetarianos, à base de peixe ou carne. Ao contrário da maioria dos brunches, este não é buffet, mas sim servido à mesa, e inclui propostas pensadas também para pequeno-almoço, almoço e lanche. Ana Maio, a proprietária da Miss Pavlova, admite que já há algum tempo andava a pensar na introdução do brunch, até porque os clientes pediam mais oferta, mas que só agora conseguiu introduzir a nova refeição, sobretudo por razões de logística. Desta forma, a cozinha foi aumentada e privilegiou-se “a diferenciação e a qualidade” dos novos pratos.

Quanto à comida, há uma carta dedicada aos ovos – benedict, à fiorentina, royale, na sertã e crocante são algumas das opções -, bruschettas de salmão, tomatada, halloumi ou abacate, e ainda duas saladas, uma de falafel servida com quinoa e outra de halloumi acompanhada de couscous. A sopa também marca presença. De momento há creme de cogumelos e sopa de salmão, no entanto a ideia é que mudem de tempo a tempos.

Mas a oferta não termina aqui. As propostas doces surgem em forma de panquecas, com fruta e xarope de ácer, ou na opção exótica, inspirada na pavlova com o mesmo nome, e que leva, entre outras coisas, gelado de curd de maracujá. Há também french toast e duas smoothies bowls, a de frutos silvestres e a de chocolate com manteiga de amendoim.

Para beber, a oferta também é extensa e vai desde as bebidas de café, como lattes e cappuccinos, chás, latte e chá de matcha, vinhos, cocktails como Bellini e Mimosa, sangria rosé e de espumante, cerveja artesanal e sumo de laranja natural.

Miss Pavlova
Rua do Almada, 13 (Baixa) Porto
Tel.: 915979517
Horário: Das 10h00 às 19h00; domingo das 13h00 às 19h00. Encerra à segunda.
Preço médio: 17 euros

Source: https://www.evasoes.pt/comer/novo-brunch-miss-pavlova-todos-os-dias/

Advertisements
Vale a pena visitar...

Photo Ark: National Geographic inaugura no Porto exposição sobre espécies em perigo


O fotógrafo Joel Sartore começou em 2006 este projecto documental e estará na inauguração da mostra.

O Museu de História Natural e da Ciência da Universidade do Porto inaugura, a 17 de Outubro, o projecto internacional Photo Ark, uma exposição da National Geographic que reúne fotografias de espécies em perigo. Em comunicado, a organização explica que o projecto foi criado por Joel Sartore, fotógrafo, porta-voz e colaborador da National Geographic há mais de 20 anos que vai marcar presença no dia da inauguração.

Iniciado em 2006, o projecto materializa o “compromisso de fotografar todas as espécies em cativeiro do mundo”, visando “levar as pessoas a encantar-se pela biodiversidade do planeta e a protegê-la”. A mostra, que vai estar em exibição na Galeria de Biodiversidade no Centro de Ciência Viva, tem como missão “sensibilizar os portugueses para um desafio à escala mundial: a necessidade de preservação da vida selvagem e da biodiversidade”, lê-se na nota enviada.

Vera Pinto Pereira, vice-presidente executiva da National Geographic Partners em Portugal e Espanha, considera que o projecto é “uma das missões mais importantes da National Geographic”, explicando que através do “extraordinário trabalho de Joel Sartore” esperam conseguir “inspirar e sensibilizar os portugueses para esta missão”.

A brown-throated three-toed Sloth (Bradypus variegatus) at the PanAmerican Conservation Association in Gamboa, Panama.

“Sabemos que até os mais pequenos gestos podem ter um impacto muito positivo no futuro destas espécies e do mundo animal. Por isso é tão importante mobilizar todos, porque todos podemos fazer a diferença”, acrescentou.
Na mostra, vão estar patentes cerca de 40 fotografias, infografias e vídeos de espécies em perigo, através dos quais os visitantes podem ficar a saber mais sobre os animais representados, sabendo que estão em vias de extinção. Até ao momento, Joel Sartore já documentou sete mil espécies, mas espera conseguir alcançar no projeto 12.000 fotografias de animais em cativeiro.

Para o fotógrafo, também citado no comunicado, “esta é a melhor altura para salvar espécies porque são tantas as que precisam de ajuda”.

A exposição vai estar patente na Galeria de Biodiversidade do Museu de História Natural e da Ciência da Universidade do Porto entre outubro de 2017 e março de 2018.

 

Source: https://www.publico.pt/2017/10/09/local/noticia/national-geographic-inaugura-no-porto-exposicao-sobre-especies-em-perigo-1788235

 

Vale a pena visitar...

Chá das Cinco: a nova casa de bolos caseiros do Porto


A nova pastelaria da Praça da Alegria tem bolos caseiros, café de especialidade, chás finos e um ambiente tranquilo que convida a visitas prolongadas.


Foi na tranquila Praça da Alegria, a dois passos do Jardim de São Lázaro, no Porto, que o blogue Chá das Cinco, de Sofia Lemos da Costa, saltou para o mundo real. A designer de 26 anos descobriu a paixão pela culinária em Itália, onde fez Erasmus. Quando regressou a casa foi surpreendida com uma doença grave, da qual se abstraia publicando no blogue que criou na altura, onde relatava as suas experiências na cozinha. Entretanto conheceu o namorado Hugo Ferraz, que se encantou com o projeto digital e lhe deu o impulso que faltava para que ele se tornasse uma realidade.

Deste casamento feliz nasceu o Chá das Cinco, um “ateliê de pastelaria”, como Sofia lhe chama, e onde faz experiências culinárias, enquanto Hugo trata meticulosamente do café de especialidade. E há chá, claro, da Companhia Portugueza do Chá e infusões biológicas nacionais.

A espreitar da montra estão, todos os dias, os scones, o pão de banana e bolachas de pepitas de chocolate. O resto da oferta varia conforme a inspiração de Sofia que pode dar origem a cupcakes de chocolate e caramelo salgado, bolo red velvet, donuts de maçã, caramelo e nozes, tarte de chocolate e vinho do porto ou uma criação completamente nova.
Se a visita for feita com tempo – coisa que o casal aconselha, dado que quase tudo é feito na hora -, sugerem-se as tostas ou as panquecas, que fazem também parte do brunch (14 euros) servido ao fim de semana.

Todos os dias há doces novos para provar, feitos consoante a inspiração de Sofia, seja red velvet, donuts de maçã ou tarte de chocolate e vinho

 

E nada acompanha melhor os doces de Sofia do que o café preparado por Hugo. Há o blend da casa, café 100% arábica, torrado pela portuguesa Luso Coffee Roasters, e outros, sempre de especialidade e de origem única, que vão rodando sem data, para que os clientes consigam experimentar o produtos de várias torradoras europeias. Além disso, o casal apostou em máquinas artesanais de café. “Queremos que as pessoas provem outro tipo de extração”, diz o casal, referindo-se à Chemex, Aeropress, V60 e ao processo de cold brew.

Os ingredientes usados são nacionais e a ideia estende-se à decoração, que privilegia o mobiliário português em segunda mão, com inspiração na década de 1970, mas que não torna o ambiente antiquado. Pelo contrário, o espaço está adequado às novas tecnologias e permite que os clientes carreguem os portáteis enquanto lancham.
Workshops de pastelaria, chá e café estão agendados para breve e, por encomenda, Sofia faz bolos e permite que o espaço seja palco de aniversários ou outros eventos.

Chá das Cinco
Morada: Praça da Alegria, 63 (Bonfim) Porto
Tel.: 916419826
Horário: Das 09h30 às 19h00; sábado, domingo e feriados das 10h00 às 17h00
Preço médio: 5 euros

 

 

Source: https://www.evasoes.pt/comer/cha-das-cinco-nova-casa-bolos-caseiros/

Pets · Vale a pena visitar...

Esplanadas no Porto para visitar na companhia do seu cão


A entrada de animais de estimação nos estabelecimentos ainda não é permitida por lei, mas no Dia Mundial do Animal, mostramos mais algumas dicas.

Existem cada vez mais espaços que ostentam com orgulho o rótulo de pet friendly, isto é, amigos dos animais de companhia. Mas se há já hotéis e turismos rurais que incentivam os donos a viajarem, a lei ainda é um obstáculo para restaurantes e bares, que estão impedidos de abrir as portas a cães, gatos e outros bichos.
Está para breve a discussão na Assembleia da República de uma proposta que pretende levantar esta proibição. Até lá, as esplanadas são o abrigo possível para donos que não abdicam da companhia do seu animal de estimação. Junto à praia, no parque ou mesmo no coração da cidade, é possível encontrar alternativas.

1.Praia Bar

É um dos novos bares de praia da marginal de Vila Nova de Gaia, sob a praia de Salgueiros, com um ambiente de verão, decoração em tons leves e uma carta recheada de sumos, saladas, sanduíches e bolos caseiros. A esplanada, arejada e a um passo do areal, é um refúgio ideal para um passeio na companhia do melhor companheiro que, por ali, pode correr em total liberdade.

 

2.Base

Desde que abriu, no final de 2013, que o Jardim das Oliveiras – na Praça de Lisboa – tem sido o espaço verde favorito de portuenses e turistas para relaxar, ler um livro ou simplesmente apanhar sol. Aqui o trânsito não incomoda – o jardim está acima do nível da rua – e o bar, no espaço central, serve todo o tipo de bebidas, entre cerveja, gin, sangria, cocktails e vinho.

 

3.Mercearia do Miguel

A velhinha mercearia na Cantareira renovou-se e agora é também um café – preparado na prensa francesa, em balão ou servido em formato clássico de expresso – com boas e leves opções para um almoço ou um lanche reforçado. A esplanada é pequena mas é o local ideal para uma paragem nas boxes durante um longo passeio pela marginal da Foz.

 

4.Aduela

O Aduela é um dos espaços preferidos dos portuenses para um serão ao lusco fusco. É sempre local de romaria, destino de clientes que querem provar o vinho em malgas, a sangria refrescante com fruta fresca ou simplesmente uma cerveja bem gelada, à sombra da oliveira que por ali mora e dá nome à rua.

 

5.Picaba Natural Café

Uma bola de ténis, um longo passeio que antecede o areal da praia e um pouco de sol e está montado o cenário ideal para um passeio com o cão lá de casa. Quando a fome apertar, basta instalar-se na esplanada do Picaba, instalado na base do Edifício Transparente, a meio caminho entre os jardins do Parque e o areal da praia, bem conhecido pelas opções leves e frescas da ementa, caso do açaí na tigela, iogurte natural, fruta, granola e mel. Para assegurar o almoço, há escolhas mais robustas como as saladas de atum e de rosbife, sanduíches, pitas, tostas e bolos caseiros.

 

Source: https://www.evasoes.pt/comer/8-esplanadas-no-porto-para-visitar-na-companhia-do-seu-cao/

Vale a pena visitar...

Vai nascer a nova loja da Starbucks na baixa do Porto


São duas as novas lojas da marca que vão chegar à cidade. Uma delas, já se sabia, irá nascer no centro comercial La Vie. A segunda prepara-se para abrir as portas em Mouzinho da Silveira, a um passo da Ribeira.

Tome nota da morada: número 188 da Rua Mouzinho da Silveira. É aqui que vai nascer a nova loja Starbucks no Porto, a primeira na cidade, mas que não chega sozinha. A notícia da chegada ao Porto foi avançada a 12 de setembro pela empresa, através de um comunicado à imprensa, onde se anunciava a abertura de duas novas lojas. A localização da segunda ficou envolta em mistério, sendo apenas revelado que ficaria “no coração histórico da cidade e num dos bairros classificados como património mundial da UNESCO”.

Está, assim, revelada a localização definitiva dos dois espaços: no centro comercial La Vie, junto ao Bolhão, a poucos metros de distância do Bolhão; e em Mouzinho da Silveira, a meio caminho entre a Baixa e a Ribeira. Embora ainda não exista uma data definida para a a abertura duas lojas, a inauguração deverá acontecer até ao final do ano.
No plano nacional, a Starbucks prepara a inauguração de outras duas lojas, ambas na região do Algarve – no Mar Shopping, em Loulé, e no Forum Algarve, em Faro. A expansão irá elevar para 15 o número de lojas da marca em Portugal.

Dentro de pouco tempo, os portuenses não terão que atravessar a ponte para visitar a loja Starbucks mais próxima, no El Corte Inglés, a funcionar desde os últimos meses de 2015.

 

Source: 

https://www.evasoes.pt/beber/e-aqui-que-vai-nascer-a-nova-loja-da-starbucks-na-baixa-do-porto/

 

Vale a pena visitar...

O novo café do Porto serve comida havaiana


Duas amigas juntaram receitas havaianas a um ambiente descontraído e colorido e abriram o primeiro café do Porto com inspiração no arquipélago do Pacífico

O nome – Honolulu -, a prancha de surf pousada, os colares de flores e a televisão a passar imagens da praias paradisíacas ajudam a revelar o conceito deste recente espaço na zona de Cedofeita. Cristina Araújo e Maria Fernandes, amigas e sócias, idealizaram um café onde são servidas especialidades havaianas, ao lado de pratos e petiscos portugueses, apesar de nunca terem estado nestas ilhas.

Foi em conversa com um amigo comum, que visita o Havai todos os anos, que o espaço começou a ser pensado. Depois de uma remodelação e diversas receitas reunidas, o Honolulu abriu em meados de agosto, e estão lá as incontornáveis poke bowls – um prato feito à base de peixe cru – e ingredientes típicos do arquipélago como o hibisco, usado em infusões, e o abacate, servido em tostas. Há ainda a haupia, uma espécie de pudim feito com coco e leite de coco, servido com uma calda de frutos vermelhos, e cheesecake à moda americana, ou seja, cozido no forno.

De resto, os clientes podem contar uma extensa lista de bebidas de café, pastelaria, tostas servidas em quatro tipos de pão cozidos na hora, tapiocas doces e salgadas, papas de aveia, açaí e waffles sem açúcar nem glúten.

Ao almoço há um menu do dia, que inclui prato, bebida, sobremesa e café. Arroz de pato, francesinha ou bacalhau à Brás são algumas das sugestões. Desta vez, bem portuguesas.

 

HONOLULU – COFFEE SHOP & COMFORT FOOD

MORADA: Rua dos Bragas, 58, Porto (Cedofeita)
TELEFONE: 223163730
HORÁRIO: Das 07h30 às 19h30; sexta e sábado até às 00h00. Encerra ao domingo.
CUSTO (€) Preço médio: 10 euros
FACEBOOK: https://www.facebook.com/honolulucoffeeshop

 

Source: https://www.evasoes.pt/comer/novo-cafe-do-porto-serve-comida-havaiana/

 

Vale a pena visitar...

Uma rua do Porto que é dos artesãos e da sua memória


Entre o Campo Mártires da Pátria e a rua das Flores, os 325 metros de calçada granítica são testemunho do encontro entre o passado e o presente.

Na rua dos Caldeireiros, onde em tempos idos laboravam ferreiros e latoeiros, já só resta a memória desses tempos e muito do antigo comércio tradicional também foi soçobrando. Nos últimos anos, a par da sobrevivência de alguns resistentes, foram abrindo novos espaços que acompanham a procura dos que visitam a cidade, incluindo inúmeros alojamentos locais. É uma rua de belas varandas em ferro, rodeadas pela azulejaria tão típica da cidade, pelo que passear pelos Caldeireiros obriga a estar atento.

Estar atento aos pormenores é garantia de pequenas mas boas surpresas, como o nicho com a imagem do Senhor da Boa Fortuna encaixado num edifício residencial, ou a discreta Capela de Nossa Senhora da Silva, padroeira dos antigos artesãos. Nesse passeio por esta rua do centro histórico, há prazeres que estão garantidos, com o de encontrar ainda algumas das lojas oficinais que, em tempos, marcavam o ritmo da cidade. Ou ainda encontrar boas mesas para uma refeição sem pressas.

ArteSana, 226  

Começou por ser inteiramente dedicado à saboaria e cosmética artesanal mas acabou por reunir no mesmo espaço projetos de joalharia, azulejo português, pins e pedras pintadas à mão, entre outros objetos de autor, perfeitos para uma prenda ou um mimo pessoal. Susana Santos passa os dias na oficina das traseiras a produzir sabonetes e velas de massagem, por isso se a porta estiver fechada mas a luz estiver ligada basta bater para poder entrar.

Vidraria Fonseca, 221

Falar dos Caldeireiros é falar da Vidraria Fonseca, uma loja centenária que ali se instalou em 1909 e integra o lote de estabelecimentos históricos protegidos no âmbito do programa “Porto de Tradição”. Fundada por Manuel Francisco da Fonseca e sempre na mão da mesma família, continua a ser marca de referência em todo tipo de vidros para arquitetura e decoração.

Horta do Pombo, 130 

Entrar na Horta do Pombo é entrar numa história de amor pelo Porto. Este restaurante está decorado com mil e um motivos alusivos à cidade, uma paixão que se reflete também na carta que gira em torno de receitas tradicionais. A par das inevitáveis tripas à moda do Porto, há posta de bacalhau frita, polvo panado como “como se fazia antigamente na Ribeira”, entre outros pratos que homenageiam a cidade.

Yours Guesthouse Bistrô, 131-135 

A decoração é elegante mas descontraída, com a sala interior a prolongar-se para uma esplanada muito convidativa nos dias mais soalheiros. A zona exterior de refeições é coberta, tornando-a uma opção viável mesmo para os dias mais cinzentos. A carta é de inspiração portuguesa mas este é também um dos poucos sítios do Porto onde se pode comer uma tajine, o prato típico de Marrocos.

Capela de Nossa Senhora da Silva, 102-104

Quem não estiver atento pode até nem reparar nela, tal a discrição da Capela de Nossa Senhora da Silva, que desde o século XV é casa da Confraria com o mesmo nome. A fachada exibe um belo oratório oitocentista com a imagem de Nossa Senhora da Silva.

Cana Verde, 121

Restaurante tipicamente português, serve comida simples e boa a preços acessíveis. Não será por acaso que a casa está sempre cheia à hora do almoço, onde acorrem muitos trabalhadores das redondezas para forrar o estômago como deve ser com o menu do dia a 7 euros. Rancho, arroz de pato ou cabidela são alguns dos pratos que compõe a ementa, tradicional q.b., mas também há opções de peixes e carnes grelhadas.

All in Porto – Wine and Foodies, 111

Vinho e petiscos dão o mote para o mais recente espaço dedicado ao comer e beber. Uma extensa lista de vinhos das várias regiões demarcadas, assim como alguns espumantes e vinhos do Porto, expostos em elegantes garrafeiras de madeira, podem acompanhar as também muitas propostas da carta, que vão desde tábuas de charcutaria e queijos a massas, passando por tibornas e também sobremesas.

Pajaro Malandro, 88 

Dois espanhóis no Porto e uma coleção de t-shirts chamada “Badalhoca”. O sucesso foi tal que decidiram abrir uma loja onde produzem t-shirts serigrafadas de maneira artesanal. Álvaro Escalona e o seu sócio Juanjo Martin imprimem em pano vivências da sua vida em Portugal. Também é possível criar o seu próprio alter-ego, através da combinação de vários carimbos de rosto, tronco e pernas.

Lavanda(RIA), 91

Em tons de branco e lilás se lava a roupa na rua dos Caldeireiros, onde o boom turístico também já se faz sentir levando à abertura recente de uma lavandaria faça você mesmo. No espaço ao comprido, com uma parede em pedra, bancos de toque clássico convidam a esperar de forma mais prazenteira. Embora os turistas sejam o público mais frequente, o espaço é aberto a todos os que dele precisem.

 

Source: https://www.evasoes.pt/ar-livre/rua-do-porto-dos-artesaos-da-memoria/

 

Vale a pena visitar...

Bierhaus: Uma casa da cerveja (e da Baixa do Porto), com certeza


O bar Bierhaus é a mais recente aposta do grupo the Gin House, aqui especialmente dedicado ao segmento das cervejas.

 

O novo espaço do grupo The Gin House é dedicado às cervejas e tem uma especial atenção à gama artesanal e portuguesa.

Apesar de estar em alemão o nome não engana. É uma casa da cerveja, com certeza, ou não fosse esse o lema do novo bar da Rua Cândido dos Reis. A Bierhaus abriu há duas semanas e é a mais recente aposta do grupo The Gin House especialmente dedicada ao segmento das cervejas e com enfoque nos produtos artesanais e nacionais.

O espaço, onde anteriormente funcionava o bar Trem das 11, foi decorado com o imaginário de uma taberna cosmopolita onde predominam o ferro e a madeira e os tons quentes e castanhos escuros. O balcão é espaçoso e convidativo, mas também há mesas e bancos altos na sala e uma zona mais recatada com mesas, cadeiras e sofás corridos.

A casa tem uma parceria com a Bohemia da Sagre, mas pode-se escolher de entre uma vasta seleção de cervejas à pressão ou em garrafa. Obviamente, há maior atenção para as marcas artesanais e portuguesas, como a Sovina, a Maldita, a Musa, a Topázio e a Letra, mas, nas cerca de 30 referências disponíveis, também há cervejas estrangeiras mais comuns como a Heineken ou a Guiness e algumas mais exóticas como a Isleña. E ainda há cidra para quem quiser variar.

Se a fome apertar, não há problema. A Bierhaus tem vários petiscos para satisfazer os mais exigentes apetites como tábuas de queijos e enchidos, saborosas conservas nacionais (bacalhau, atum, cavala, sardinha e salmão) e as especialidades marinadas da casa servidas em apelativos frascos de vidro (queijo de cabra picante, queijo da ilha, tremoços à madeirense, azeitonas e linguiça picante).

MORADA: Rua Cândido dos Reis, 85 (Baixa), Porto
HORÁRIO: Das 19h00 às 02h00; sexta e sábado até às 04h00
CUSTO (€€) Preços: cervejas a partir dos 2 euros, brancas a partir dos 5 euros
Livros · Vale a pena visitar...

FEIRA DO LIVRO DO PORTO CHEGOU AO PALÁCIO DE CRISTAL NA SEXTA-FEIRA


A Feira do Livro regressou aos Jardins do Palácio de Cristal na quarta edição organizada pela Câmara do Porto. O evento começa na sexta-feira, dia 1 de Setembro e tem exposições, debates e (claro) venda de livros. O “festival literário” termina no dia 17 de Setembro.

Além das comuns exposições, debates e sessões de música e de cinema, este ano a Feira do Livro tem “lições” sobre, por exemplo, o Memorial do Convento de Saramago ou a obra de Sophia de Mello Breyner Andresen. Sophia de Mello Breyner é a homenageada nesta edição, sendo que a exposição Quatro Elementos (que abre no primeiro dia, na Galeria Municipal do Porto) inclui leituras inéditas de trabalhos da autora lidos pela própria. Há ainda um debate de inauguração com a presença de Miguel Sousa Tavares, Frederico Lourenço e Ana Luísa Amaral sobre a relação dos elementos da natureza com o trabalho de Sophia de Mello Breyner.

Entre os workshops, colóquios e conversas vão passar nomes como José Eduardo Agualusa, Gonçalo M. Tavares, Anabela Mota Ribeiro, Dulce Maria Cardoso, José Luís Peixoto e muitos mais artistas nacionais e internacionais. Guilherme Blanc, adjunto do presidente da Câmara do Porto destacou a evolução da feira em entrevista à Lusa citada pelo Notícias ao Minuto: “a questão da internacionalização, com três autores fulgurantes internacionais de diferentes geografias, literárias e culturais, é um fator distintivo da feira este ano”.

O poder da linguagem na transformação do ser humano vai ser objeto de uma conversa com Laurent Binet, escritor francês que ganhou o Prémio Gouncourt em 2010. Han Kang, escritora sul-coreana premiada com um Man Booker Internacional, vai debater a solidão no Oriente e o papel da mulher nos países conservadores. Já Teju Cole com nacionalidade norte-americana e nigeriana vai abordar o futuro da literatura africana. Podes consultar aqui o Jornal da Feira do Livro com toda a programação detalhada.

Na quarta edição há melhorias e crescimento comprovado na feira. “Queixaram-se da falta de mesas para as pessoas poderem folhear os livros que querem comprar. Esta actividade, de facto, num sítio que não é acessível, não funciona”, explicou Rui Moreira, citado pelo Público. O evento vai melhorando de ano para ano: houve um aumento de 26 expositores desde a primeira edição, há quatro anos. De acordo com o JornalismoPortoNet, há menos editoras e livrarias e mais alfarrabistas, embora haja entidades a ocupar mais do que uma banca. A Livraria Lumiére e a Braga Alfarrabista estão de volta à feira e há sete novos participantes.

“A literatura e o lugar raramente existem um sem o outro. Este ano, levando mais longe a visibilidade nacional e internacional da Feira, e reativando o nosso património literário mais precioso, podemos afirmar que estes jardins, acessíveis a todos na celebração da escrita e seus autores, cumpriram o seu destino, abrindo à cidade estimulantes horizontes na sua relação com o livro” – é esta a mensagem que Rui Moreira deixa no jornal oficial do evento.

A Feira do Livro do Porto vai acontecer entre 1 e 17 de Setembro entre as 12h00 e as 21h30 de segunda a quinta-feira. Às sextas-feiras, fecha às 23h30; aos sábados funciona das 11h00 às 23h30 e aos domingos das 11h00 às 21h30.

 

 Source:  https://shifter.pt/2017/08/feira-do-livro-porto/

 

Eu fui ontem visitar a Feira do Livro e adorei!!! E claro comprei mais livros para ler….. (entre os quais “Atos Humanos” de Han Kang e “Os Últimos Sete Meses de Anne Frank” de Willy Lindwer).

Façam boa leitura!!!!

 

Vale a pena visitar...

Já abriu o primeiro café de cereais do Porto


Há quase uma centena de cereais e milhares de combinações para experimentar no novo Cereal Porto Café, aberto desde a hora do pequeno-almoço até à noite.

O processo é simples: opta-se por um tamanho, uma combinação de cereais, leite e coberturas. A escolha dos cereais é que pode ser mais complicada, dada a quantidade de hipóteses. Há três tamanhos de taça – S, M e L – e cada uma leva três, quatro e cinco diferentes tipos de cereais, respetivamente. Seguem-se as coberturas, de chocolate, sprinkles, bolachas, gomas e marshmallows, e do leite, que pode ser de vaca ou de origem vegetal, soja, amêndoa, aveia ou arroz. É este o conceito do Cereal Porto Café, que tem uma caixa gigante de Froot Loops suspensa a partir do teto e que surpreende quem passa à porta.

Outras caixas de cereais, mais pequenas e coloridas – são cerca de uma centena – forram as prateleiras que se encontram ao fundo da pequena loja. São elas que estão no centro deste projeto de três amigos – Ricardo Vilas Boas, Pedro Gil e Eurico Duarte -, que começou a ser pensado no final de 2016. Ricardo tinha vontade de ter algo seu e sendo da área da Educação Física, colocou a possibilidade de ter um ginásio, mas rapidamente descartou essa hipótese por sentir que já era uma área bastante explorada. Quando viu um vídeo na Internet sobre o sucesso do Cereal Killer Cafe, em Londres, decidiu abrir também um espaço dedicado aos cereais no Porto.

A partir daí começou a contactar fornecedores e a reunir o maior número possível de cereais. Cerca de metade são marcas que estão disponíveis em Portugal, para que os turistas conheçam o que se come por cá, e a outra metade são marcas importadas, sobretudo dos Estados Unidos da América. Alguns dos mais difíceis de encontrar nos supermercados nacionais são os Froot Loops, Lucky Charms, Reese’s Puffs, Cocoa Pebbles, Apple Jack’s, Cap’n Crunch, Sprinkled Donut Crunch e os Shreddies. A oferta do Cereal Porto Café estende-se ainda a milkshakes, bebidas quentes de café, chá, chocolate quente e tostas.

MORADA: Rua Fernandes Tomás, 916, Porto (Trindade)
TELEFONE: 926655641
HORÁRIO: Das 09h00 às 22h00; sexta e sábado até às 00h00. Encerra ao domingo.
CUSTO:() Taças a partir de 3,30 euros