Filmes

Movie: “Chama-me pelo Teu Nome” (Call Me by Your Name)


Verão de 1983. Elio, de 17 anos, vive com a família em Itália, numa bela mansão do século XVII. O pai, um professor de arqueologia de renome, convida Oliver, um norte-americano de 24 anos, a passar alguns meses em sua casa, para o ajudar num projecto. Extraordinariamente inteligente, culto e educado, Elio é também um rapaz tímido e pouco preparado para a vida, que pouco tem em comum com a personalidade exuberante de Oliver. Apesar disso, à medida que o tempo vai passando e se vão conhecendo mais profundamente, uma atracção difícil de ignorar surge entre os dois…
Com argumento de James Ivory (responsável pela realização de “Quarto com Vista sobre a Cidade”, “Regresso a Howards End” ou “Os Despojos do Dia”) e realização de Luca Guadagnino, um filme dramático sobre o amor e a descoberta da sexualidade. Inspira-se na obra com o mesmo nome escrita pelo italiano de origem egípcia André Aciman. Estreado no Festival de Cinema de Sundance (EUA), “Chama-me pelo Teu Nome” é a última parte da trilogia “Desejo”, de que também fazem parte os filmes de Guadagnino “Eu Sou o Amor” (2009) e “Mergulho Profundo” (2015). Os actores Timothée Chalamet, Armie Hammer, Michael Stuhlbarg, Amira Casar, Esther Garrel e Victoire Du Bois dão vida às personagens.

Advertisements
Filmes

Movie: “Desejo de Mãe (Mother’s Wish)”


Dez histórias sobre a maternidade em vários pontos do globo, segundo o ponto de vista da mãe ou do filho. A força do amor materno narrada por pessoas diferentes, em diversos momentos da sua vida. Fala-se na magia do momento do parto, do orgulho do primeiro dia de escola, das pequenas alegrias do dia-a-dia. Mas também de histórias de sobrevivência, separação e pesar, num mundo muitas vezes pautado por desigualdades e injustiças…
Apoiado pela UNICEF (Fundo das Nações Unidas para a Infância), um documentário sobre os desejos e medos da maternidade, transversais a países e culturas. É realizado por Joonas Berghäll (“Miesten vuoro”, “Sources of Strength”), segundo um argumento seu, de Anna Nykyri e Timo Vierimaa.

 

Filmes

Movie: “A Montanha Entre Nós (The Mountain Between Us)”


Dois estranhos conhecem-se no aeroporto de Boise (Idaho, EUA): Alex, uma jornalista que viaja para Baltimore para o seu casamento; e Ben, um cirurgião com urgência em regressar a casa para realizar uma operação delicada. Quando o voo de ambos é cancelado devido ao mau tempo, Alex aluga uma avioneta para os levar ao seu destino. Mas o que parece ser a solução perfeita transforma-se num pesadelo quando o piloto sofre um ataque cardíaco em pleno voo e a avioneta se despenha no meio do nada. O pilot morre, mas Alex, Ben e o cão que viaja com eles sobrevivem. Conscientes de que ninguém sabe onde se encontram e que, por isso, não podem esperar por socorro, sabem que apenas lhes resta uma alternativa: atravessar a pé centenas de quilómetros de neve e gelo, numa tentativa de encontrar ajuda. Nesse esforço de se manterem vivos, nasce entre os dois uma atracção inesperada…
Com argumento de Chris Weitz e J. e Mills Goodloe, um filme dramático que adapta ao grande ecrã o romance homónimo de Charles Martin. Com realização de Hany Abu-Assad, é protagonizado por Idris Elba e Kate Winslet.

 

Filmes

Movies: “Quand on a 17 Ans (Quando se Tem 17 Anos)”


Esta história, que se desenrola nos Pirenéus franceses, foca-se em Damien (Kacey Mottet Klein), um adolescente homossexual que mora com a mãe médica (Sandrine Kiberlain) enquanto o pai militar está destacado em África. Um dia, é obrigado, por iniciativa dela, a viver com Thomas (Corentin Fila), o “bully” que o atormenta na escola. Isto porque a mãe de Thomas, paciente da mãe de Damien, é hospitalizada. A relação entre os dois acaba por se tornar muito mais próxima do que poderia parecer à partida. Um drama romântico sobre o despertar da sexualidade adolescente, co-escrito (com a ajuda de Céline Sciamma, a realizadora de “Bando de Raparigas”) e realizado pelo veterano francês André Téchiné, responsável por “A Minha Estação Preferida”, “Os Juncos Silvestres” e “Os Ladrões”, entre muitos outros filmes

 

Filmes

Movies: “Vive (Breathe)”


Poucos meses depois de se casar com Diana e de viajar para o Quénia, Robin Cavendish contrai poliomielite, uma doença viral e infecciosa que lhe atinge o sistema nervoso central, provocando paralisia do pescoço para baixo. Com apenas 28 anos, imobilizado e incapaz de respirar pelos seus próprios meios, Robin vê-se perante um diagnóstico que lhe prevê alguns meses de vida. Desesperado e deprimido, encontrará a força necessária para continuar em Diana e no filho de ambos, ainda por nascer. Depois de Robin ter estado internado durante um ano, totalmente dependente dos cuidados médicos e de uma máquina que lhe possibilita respirar, Diana resolve fazer o impensável: ignorar os pareceres médicos e levá-lo para casa, onde dá início a uma demanda para melhorar as condições de vida dele e de todas as pessoas afectadas com paralisia. Numa recusa em encarar a doença como algo que o impedisse de viver, em 1962, quatro anos após o início da doença, Cavendish junta-se ao seu amigo Teddy Hall, um professor da Universidade de Oxford, para criar um protótipo de cadeira de rodas com respirador incorporado. Mais tarde, esse modelo será usado por milhões de pessoas com as mesmas dificuldades.

Com o passar dos anos, usando a sua própria experiência como exemplo, Robin Cavendish vai ajudar vários técnicos a desenvolver aparelhos destinados a melhorar a qualidade de vida de pessoas que, de outra forma, estariam confinadas a uma cama, completamente dependentes dos cuidados de profissionais.

Com argumento de William Nicholson, um drama biográfico que marca a estreia na realização do actor Andy Serkis (que se tornou conhecido pela personagem Gollum, em “O Senhor dos Anéis”). Com Jonathan Cavendish, o único filho de Robin e Diana Cavendish, na cadeira de produtor, a história de “Vive” é interpretada por Andrew Garfield, Claire Foy, Hugh Bonneville, Tom Hollander, Ed Speleers e Dean-Charles Chapman.

 

Filmes

Movies: “Stronger – A Força de Viver”


Baseado em factos reais, um drama que evoca os acontecimentos de 15 de Abril de 2013, quando duas bombas explodiram durante a maratona de Boston, nos EUA. Os explosivos foram accionados com uma diferença de poucos segundos e estavam colocados perto da linha de chegada. No momento da explosão, o atentado fez três mortos entre os espectadores e 264 feridos, e mais dois mortos e 16 feridos três dias depois, durante uma perseguição policial.

Entre os feridos, encontrava-se Jeff Bauman, que esperava ansiosamente a chegada de Erin Hurley, que participava na maratona. Gravemente ferido, foi rapidamente transportado para o hospital, onde lhe foram amputadas ambas as pernas. Depois de acordar da cirurgia, Bauman conseguiu recordar os eventos e identificar os autores: Dzhokhar e Tamerlan Tsarnaev, dois irmãos norte-americanos de origem tchetchena. As suas indicações levaram à captura dos responsáveis, tornando-o um herói nacional. Apesar da fama e do reconhecimento, Bauman viu-se incapaz de lidar com a deficiência e o súbito mediatismo. Incansável no seu esforço de o ajudar esteve Erin, com quem Bauman acabou por se envolver romanticamente e que se transformou numa espécie de tábua de salvação.

Estreado no Festival de Cinema de Toronto, um filme dramático realizado por David Gordon Green (“Prince Avalanche”, “Joe”, “O Senhor Manglehorn”), segundo um argumento de John Pollono, que se baseia na obra biográfica de Jeff Bauman e Bret Witter. Com Jake Gyllenhaal no papel principal, conta também com Tatiana Maslany, Miranda Richardson e Clancy Brown.

Filmes

Movies: “Amor de Improviso (The Big Sick)”


O comediante de “stand-up” Kumail Nanjiani, conhecido pelo papel na série “Silicon Valley”, e a argumentista e escritora Emily V. Gordon são casados e escreveram este filme baseado na relação entre os dois. Nanjiani nasceu no Paquistão e mudou-se para os Estados Unidos ainda adolescente. Os pais, na terra natal, esperavam que ele se casasse com uma compatriota, mas Nanjiani apaixona-se por Emily, uma estudante americana. Como se não bastassem as diferenças entre os dois e o casamento que os pais lhe querem arranjar, quase logo a seguir, por causa de uma doença, ela entra em coma. Uma comédia dramática realizada por Michael Showalter, da seminal trupe de comédia de “sketches” dos anos 1990 The State e um dos responsáveis por “Wet Hot American Summer” (tanto o filme quanto as duas séries), com produção de Judd Apatow. Kumail faz dele próprio, enquanto Emily é interpretada por Zoe Kazan. Nomes como Holly Hunter, Ray Romano, Bo Burnham, Aidy Bryant, Kurt Braunohler ou David Alan Grier surgem ao lado de ambos no elenco.

 

 

Filmes

Movies:”The Glass Castle (O Castelo de Vidro)”


Em 2005, a autora Jeannette Walls escreveu um livro de memórias sobre a sua infância disfuncional, quando vivia em pobreza e a sua família mudava de casa constantemente, entre o Arizona e a Califórnia, para fugir a dívidas. O pai era alcoólico; a mãe, artista. Ambos tentavam distrair os filhos da pobreza através do estímulo à imaginação deles.
Passados 12 anos, a história é adaptada ao cinema por Destin Daniel Cretton, que realizou “Temporário 12” em 2013 e, um ano antes, o não lançado entre nós “I’m Not a Hipster”. O elenco inclui Brie Larson (estrela de “Temporário 12”), Woody Harrelson, Naomi Watts e Max Greenfield.

 

 

Filmes

Movies: “Porto”


Com produção executiva de Jim Jarmusch, este filme de Gabe Klinger, que antes tinha realizado o documentário Jogo Duplo: James Benning e Richard Linklater, é notório por ter sido rodado e se passar no Porto, e por ser um dos últimos filmes (o derradeiro como protagonista) de Anton Yelchin, que morreu em Junho de 2016. É a história, contada de forma fragmentada e não-linear, do amor entre um norte-americano e uma francesa um pouco mais velha (Lucie Lucas), que se encontram no Porto mas depois têm dificuldade em voltarem a estar juntos. A narrativa vai alternando entre o tempo que passaram juntos e depois as alturas em que estão ambos sozinhos, com diferentes formatos e representações visuais. A produção está a cargo, entre outros, do realizador português Rodrigo Areias.

Filmes

Movies: “A Febre das Tulipas (Tulip Fever)”


Holanda, século XVII. Fortunas parecem nascer do nada, com pessoas de todas as classes sociais a vender as suas posses para investir em bolbos de tulipas. Cornelis Sandvoort, um mercador rico, contrata o pintor Jan van Loos para pintar um retrato seu ao lado de Sophia, a jovem e bela esposa. Inconformada por ter sido obrigada a casar quando era praticamente uma criança, Sophia vê-se completamente enredada pelos encantos de Jan. Com o passar do tempo, cada vez mais envolvidos naquele amor proibido, os amantes resolvem fugir. De modo a arranjar dinheiro que os liberte do poder do mercador, Sophie e Jan arriscam tudo o que têm no comércio de tulipas, sonhando com uma vida longe dali e sem imaginarem que, em breve, o mercado entrará em colapso, deixando arruinados milhares de holandeses.

Um drama histórico realizado por Justin Chadwick (“Mandela: Longo Caminho para a Liberdade”), segundo um argumento de Tom Stoppard, que adapta o “best-seller” com o mesmo nome escrito, em 1999, por Deborah Moggach – que também colabora no argumento. Os actores Alicia Vikander, Dane DeHaan, Jack O’Connell, Zach Galifianakis, Judi Dench, Christoph Waltz, Holliday Grainger, Matthew Morrison e Cara Delevingne dão vida às personagens.