Dicas

Os feriados e ‘pontes’ que abrem a porta a mini férias em 2018


A disposição dos feriados reduz a generosidade do de 2018 face ao deste ano . Mesmo assim há 5 pontes possíveis e 3 fins de semana prolongados.

Para quem já esgotou as férias de 2017, as atenções começam a virar-se para o calendário do próximo ano. Mas quem planeia as pausas no trabalho a contar com os feriados terá este ano a vida menos facilitada.

Ao longo de 2017, entre pontes e fins de semana prolongados contam-se 11 possibilidades de fazer umas miniférias. No próximo ano, serão oito, distribuídos entre três feriados que coincidem com sextas ou segundas-feiras, e cinco datas em que um dia útil de férias se ‘transforma’ em quatro dias de descanso.

Fique a par das datas de todos os feriados ao longo do próximo ano.

Janeiro

A entrada em 2018 coincide com uma segunda-feira, o que permite prolongar o fim de semana da passagem de ano.

Dia 1: Ano Novo (segunda-feira)

Fevereiro

O Carnaval assinale-se no dia 13 e o facto de ser comemorado às terças-feiras abre portas à primeira possibilidade de ‘ponte’ em 2018. No sector privado, este dia é considerado feriado por via dos acordos coletivos e na função pública, a tradição manda que se dê tolerância de ponto. Já houve exceções, sobretudo no período de assistência financeira, mas por regra o governo oferece estes dias aos trabalhadores.

Dia 13: Carnaval (terça-feira)

Março

A primeira pausa possível chega no dia 30, data em que se comemora a sexta-feira santa.

Dia 30: Sexta-feira Santa (sexta-feira)

Abril

Em 2018, o dia 25 de abril coincide com uma quarta-feira, dando margem para que algumas pessoas possam encaixar nesta semana uma pausa no trabalho e gozem umas mini férias.

Dia 1: Páscoa (domingo)

Dia 25: Dia da liberdade (quarta-feira)

Maio

O Dia do Trabalhador coincide com uma terça-feira, proporcionando a segunda ‘ponte’ possível em 2018. No último dia do mês, o Corpo de Deus (feriado que foi reposto em 2016) proporciona a terceira ‘ponte’.

Dia 1: Dia do Trabalhador (terça-feira)

dia 31: Corpo de Deus (quinta-feira)

Junho

Entre feriados nacionais e municipais, junho costuma ser um dos meses mais procurados para umas miniférias, mas para o ano as possibilidades serão reduzidas.

Dia 10: Dia de Portugal (domingo)

Dia 13: Dia de Santo António (quarta-feira)

Dia 24: Dia de S. João (domingo)

Agosto

Durante o verão, o calendário acomoda apenas um feriado que em 2018 calha a meio da semana.

Dia 15: Assunção de Nossa Senhora (quarta-feira)

Outubro

Por esta altura a maior parte dos portugueses já esgotou as férias mas poderão para por três dias por alturas do 5 de outubro.

Dia 5: Implantação da República (sexta-feira)

Novembro

O feriado que se assinala a 1 de novembro ‘regressou’ igualmente em 2016 e permitirá para alguns um descanso de quatro dias seguidos.

Dia 1: Dia de todos os santos (quinta-feira)

Dezembro

Dezembro, como junho, é generoso em dias de descanso, mas em 2018 há dois (1 e 8) que coincidem com o fim de semana. Já o Natal permitirá a última ‘ponte’ do ano.

Dia 1: Restauração da independência (sábado)

Dia 8: Imaculada Conceição (sábado)

Dia 25: Natal (terça-feira)

 

 

Advertisements
Alimentação · Dicas

Dieta do shake: como perder peso de forma saudável


A dieta do shake ficou famosa como uma opção de dieta para perder peso rápido, onde a recomendação é substituir as refeições por shakes emagrecedores. Porém, o uso inadequado pode trazer muitos prejuízos para saúde.

o que é a dieta do shake?

A dieta do shake, preconiza que uma das principais refeições, como almoço ou jantar, seja substituída por uma bebida nutricionalmente equilibrada e que os adeptos desta dieta para perder peso devem manter uma alimentação saudável, e a prática de atividade física regular, além de reestabelecer comportamentos alimentares adequados, para que ao final da dieta com shake, quando o peso desejado for atingido, seja possível manter esse peso sem voltar a engordar.

como fazer a dieta do shake?

A dieta do shake para emagrecer consiste na utilização do shake como um substituto para as refeições, sendo uma opção mais adequada quando comparada com algumas ofertas alimentares inadequadas, como fast food, ou até na falta de tempo para uma refeição elaborada.

dieta do shake faz mal?

Assim como qualquer dieta restritiva, se feita de forma inadequada, pode causar deficiências nutricionais a longo prazo, por isso é indicado que seja orientada por profissionais, e por tempo limitado. O ideal é que não substitua todas as refeições do dia, complementando o shake com frutas ou saladas variadas.

receitas de shake para emagrecer

Para utilizar o shake como um substituto alimentar é preciso optar por receitas de shake que possuam os três grupos alimentares:

1.Energéticos: alimentos fonte de carboidratos e lipídios
2.Construtores: alimentos fonte de proteína
3.Reguladores: alimentos fonte de fibras, vitaminas e minerais;

Pode-se adicionar alimentos funcionais aos shakes emagrecedores, como farinhas, fibras e farelos, além de proteínas em pó, como whey protein e colágeno hidrolisado. Estes produtos, além de deixarem o shake para emagrecer nutricionalmente balanceado, ajudam a retardar a digestão, mantendo a sensação de saciedade por mais tempo.

Também é possível optar pelas versões de shake em pó, já prontos para consumo, que precisam apenas ser misturados com água ou leite, e oferecem uma refeição completa, com baixo valor calórico.

dicas para fazer a dieta do shake

1.Não fique longo períodos de jejum, reconheça os sinais de fome e respeite estes sinais. Opte por lanches saudáveis, como castanhas e frutas.

2.Mantenha uma alimentação equilibrada durante todo o dia e estabeleça metas possíveis para realizar atividade física;

3.Verifique qual refeição será melhor para tomar o shake sem que interfira na dinâmica diária ou no convívio social, normalmente, o mais indicado é que seja consumido no café da manhã, lanches intermediários ou ceia.

4,Tome o shake devagar, sinta os sabores e as texturas. De tempo para o corpo reconhecer a presença do alimento na boca e no estômago e, dessa forma, regular os hormônios de fome e saciedade.

Dicas · Lifestyle

5 aplicativos fitness para ajudar no treino


Há muito tempo os celulares deixaram de ser usados apenas para fazer ligações. Com os constantes avanços da tecnologia, a cada dia surgem novos recursos para tornar a vida mais fácil e prática, inclusive na hora de se exercitar. No quesito “Em forma”, existem aplicativos para tudo: controlar os batimentos cardíacos, oferecer programas de exercícios e até para saber os quilômetros percorridos durante uma corrida ou caminhada.

Difícil decidir qual é o app ideal, né?! Calma! Para ajudá-lo a escolher a melhor opção de acordo com o seu objetivo, fizemos uma seleção de aplicativos fitness que estão conquistando a galera! Olha só:

Runtastic: mostra em tempo real a distância percorrida em uma corrida ou caminhada, além da duração e velocidades máxima e mínima. De quebra, você pode compartilhar essas informações com seus amigos por meio das redes sociais.

Nike Training Club: o aplicativo permite criar treinos personalizados de acordo com os seus objetivos, como emagrecer, ganhar massa muscular ou apenas manter a forma. Para isso, oferece vídeos e áudios explicativos e, ainda, permite escolher entre os níveis iniciante, intermediário e expert. Nele, também dá para escolher a música que você quer ouvir enquanto realiza os exercícios.

Instant Heart Rate: para descobrir como está o seu condicionamento para a prática de atividades físicas, o aplicativo identifica seu ritmo cardíaco antes, durante e depois dos treinos, sem a necessidade de qualquer outro equipamento.

Pocket Yoga: por meio de imagens e ilustrações, o aplicativo mostra práticas com níveis de dificuldade e durações diferentes, em 27 sessões para aprender ou melhorar técnicas básicas da yoga.

Crossfit Travel: desenvolvido especialmente para quem viaja muito, o aplicativo traz exercícios que podem ser feitos em qualquer lugar, inclusive em espaços pequenos e sem a ajuda de aparelhos. Também é possível compartilhar seu desempenho por meio das redes sociais.

Não há desculpa para deixar os exercícios de lado, hein?!  Você já experimentou algum desses aplicativos ou tem sugestão de mais algum? Conte para a gente nos comentários!

 

Source: https://www.natue.com.br/natuelife/5-aplicativos-para-ajudar-no-treino.html

 

Dicas

Ryanair cria seis novas rotas de ligação do Porto para a Europa


A companhia aérea de baixo custo Ryanair inaugura esta quarta-feira seis novas rotas do Porto, via Milan Bérgamo, para Bari (Itália), Bratislava (Eslováquia), Brindisi (Itália), Budapeste (Hungria), Praga (República Checa) e Salonica (Grécia).

Em comunicado, a “low cost” irlandesa diz ter ainda alargado o seu serviço de voos de ligação, possibilitando aos passageiros fazer reservas e transferências diretas para os voos de ligação da companhia.

Assim, a partir desta quarta-feira, os passageiros da Ryanair com partida do Porto que embarquem em voos via Aeroporto de Bérgamo, em Milão, podem fazer o “check in” das respetivas bagagens de forma que sejam transferidas diretamente para o destino final, usando uma referência de reserva única para ambos os voos e ficando dispensados de novo processo de “check in” na escala em Itália.

 

Dicas

Visitar museus e monumentos volta a ser grátis a partir de domingo


As entradas nos museus, palácios e monumentos nacionais voltam a ser gratuitas a partir de domingo, dia 2 de julho, data em que será reposta uma gratuitidade que tinha sido suspensa em 2014, pelo anterior Governo.

O regresso das entradas gratuitas nestes espaços culturais aos domingos, até às 14.00 horas, passa a vigorar a partir de julho, como tinha anunciado, no início do mês, no parlamento, o ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes.

Quando a medida foi suspensa, em 2014, as entradas passaram a ser gratuitas apenas no primeiro domingo de cada mês, durante todo o dia, e a Direção-Geral do Património Cultural criou um bilhete destinado às famílias numerosas.

No domingo, a data do regresso da gratuitidade será assinalada por uma visita, às 10:00, do ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, ao Museu Nacional Machado de Castro, em Coimbra.

De acordo com o gabinete do ministro, na mesma ocasião será também apresentada a obra “Museu Nacional Machado de Castro 100 anos/100 obras”, do poeta João Miguel Fernandes Jorge, com prefácio do ministro da Cultura.

No parlamento, quando questionado sobre o regresso da gratuitidade, que estava a ser estudada, Luís Filipe Castro Mendes disse que se tratava de uma “medida emblemática para os portugueses conhecerem mais e melhor os museus”.

Em novembro do ano passado, foi aprovada na Assembleia da República, na especialidade, uma proposta do PCP de alteração da proposta de lei do Orçamento do Estado para 2017, que determinava a reposição da gratuitidade da entrada nos museus e monumentos nacionais, nos domingos e feriados, até às 14.00 horas, para todos os cidadãos residentes em território nacional.

Em janeiro, em declarações à Lusa, Luís Filipe Castro Mendes tinha garantido que a lei seria aplicada “com certeza” este ano.

“É difícil aplicar a lei, na medida em que há uma diretiva europeia que não permite o que está previsto na lei [aprovada no ano passado, no parlamento], que é restringir aos residentes em Portugal essa gratuitidade”, comentou na altura.

Source: http://www.jn.pt/nacional/interior/visitar-museus-palacios-e-monumentos-volta-a-ser-gratis-a-partir-de-domingo-8598292.html

 

Dicas

Reportagem: “Estás viva, minha irmã, estás viva”


Foram precisos 52 anos para o círculo se fechar. Em 1965, durante a Guerra Colonial em Angola, um grupo de soldados portugueses encontrou uma bebé no mato. Batizaram-na Isabel Batata Doce e trouxeram-na para Portugal, onde cresceu sem saber do seu passado. Em África, a família procurou-a durante cinco décadas. Até encontrá-la. Há dois anos a Notícias Magazine contou o lado português da história. Esta é outra parte, a dos dias em que Isabel regressou à sua terra, percebeu quem era e nasceu de novo. Esta, na verdade, é a história de um milagre.

Reportagem de Ricardo J. Rodrigues para ver (http://estasviva.noticiasmagazine.pt/)

“Mesmo que não se conhecessem, mesmo que nunca se tivessem visto antes, naquele abraço cabia uma intimidade de décadas.”

Dicas

Sophia de Mello Breyner vai estar em cada recanto da Feira do Livro do Porto


A 4.ª edição do evento que a Câmara Municipal do Porto organiza desde 2014 regressa aos Jardins do Palácio entre os dias 1 e 17 de setembro. Sophia de Mello Breyner Andresen será a escritora celebrada.

“Homenagearemos um nome fundamental da cidade e da cultura, para quem as árvores eram poesia”, explicou o autarca, que teve sempre a seu lado Miguel Sousa Tavares, um dos cinco filhos da escritora. A homenagem começa no dia 2 de setembro, com a atribuição do nome de Sophia a uma tília da Avenida das Tílias.

Para além disso, grande parte da programação cultural — exposições, conversas, debates, um ciclo de cinema e atividades para crianças — será pensada em torno da vida e obra da poetisa que nasceu no Porto, em 1919. Também no dia 2 de setembro, Miguel Sousa Tavares estará nos jardins do Palácio para abrir o ciclo de debates.

“De certeza que a família vai gostar de estar aqui connosco”, disse Rui Moreira, para logo de seguida escutar Miguel Sousa Tavares agradecer a homenagem. “Entre a minha mãe e o Porto houve sempre uma grande relação”, sublinhou, acrescentando que a cidade está intimamente ligada a cada livro que a autora de A Menina do Mar escreveu, e que tem sabido mostrar gratidão a esse legado. “A minha mãe está no sítio certo para ser homenageada.”

No dia da abertura da feira, serão inauguradas duas exposições na Galeria Municipal do Porto. A primeira é dedicada a António Nobre, a propósito dos 150 anos do seu nascimento. A segunda, que terá quatro curadores, vai inspirar-se na água, no ar, na terra e no fogo, e no pensamento de Sophia. Os restantes pormenores da programação vão ser divulgados em breve.

“Vamos manter a mesma dimensão” do evento, explicou o presidente da autarquia, o que se traduz em cerca de 130 pavilhões. O orçamento a pagar pela Câmara também será “sensivelmente o mesmo” dos anos passados, ou seja, 75 mil euros.

No ano passado, estiveram na Feira do Livro do Porto 69 editoras, 26 livrarias, 16 alfarrabistas, 12 instituições e 8 distribuidoras. As inscrições para 2017 abrem no verão. A Câmara está ainda a considerar organizar de forma diferente os alfarrabistas., que se terão lamentado à organização que, com os pavilhões, os clientes não podem manusear os livros.

 

Dicas

A Feira do Livro do Porto quer ser mais internacional e vai receber Teju Cole e Han Kang


Han Kang venceu o Man Booker International Prize no ano passado, com o livro “A Vegetariana”.

A sul-coreana Han Kang, o norte-americano Teju Cole e o francês Laurent Binet vão estar presentes na Feira do Livro do Porto, que se realiza entre 1 e 17 de setembro. A notícia foi avançada pelo presidente da Câmara, Rui Moreira, em Espanha.

O autarca esteve esta sexta-feira na abertura da Feira do Livro de Madrid para promover o evento portuense, que a autarquia organiza desde 2014, após uma rutura com a APEL. Anunciando “uma nova etapa” de maior “visibilidade internacional”, Rui Moreira revelou que uma das escritoras presentes será Han Kang, vencedora do Man Booker International Prize em 2016. Foi com A Vegetariana que Han Kang conquistou a distinção. O livro encontra-se editado em Portugal pela D. Quixote.

Outro dos destaques é Teju Cole, o escritor e fotógrafo nascido nos Estados Unidos em 1975 e criado na Nigéria. É autor de romances como Todos os dias são bons para roubar e Cidade aberta., ambos publicados em Portugal pela Quetzal.

O francês Laurent Binet, vencedor do Prémio Goncourt em 2010 com HHhH (editado em Portugal pela Sextante). Em abril deste ano, chegou às livrarias portuguesas A Sétima Função da Linguagem (Quetzal), uma paródia do meio literário e intelectual francês, sob a forma de investigação criminal.

A brasileira Tatiana Salem Levy e os portugueses Ana Luísa Amaral, Gonçalo M. Tavares, Miguel Sousa Tavares, Frederico Lourenço e Tolentino Mendonça também já estão confirmados para a 4.ª edição da Feira do Livro do Porto — desde que é organizada pela autarquia.

Sophia de Mello Breyner Andresen será a escritora celebrada e grande parte da programação cultural — exposições, conversas, debates, um ciclo de cinema e atividades para crianças — será pensada em torno da vida e obra da poetisa que nasceu no Porto, em 1919. No dia 2 de setembro, o filho e também escritor Miguel Sousa Tavares estará nos jardins do Palácio para abrir o ciclo de debates. Haverá também sessões de spoken word, comissariadas por José Eduardo Agualusa e Anabela Mota Ribeiro.

No ano passado, estiveram na Feira do Livro do Porto 69 editoras, 26 livrarias, 16 alfarrabistas, 12 instituições e 8 distribuidoras. As inscrições para 2017 abrem no verão.

Source: http://observador.pt/

Dicas

Porto mostra o Património Mundial visto pelas crianças


“O meu PORTO é Património Mundial” é o nome da exposição que reúne trabalhos de alunos das escolas da cidade e que é inaugurada na quinta-feira, dia 18, às 15 horas, no Museu do Vinho do Porto.

A exposição foi composta a partir do projeto com o mesmo nome e desenvolvido pela Câmara do Porto junto da comunidade escolar, ao longo do ano letivo 2016/2017.
A iniciativa tem como objetivo principal realçar a importância da classificação atribuída pela UNESCO ao Centro Histórico do Porto enquanto bem único e insubstituível. Neste contexto, foram desenvolvidas atividades dentro e fora da escola para promover a consciência sobre a responsabilidade individual e coletiva na preservação do património da cidade, bem como para criar hábitos de participação e fruição de experiências criativas.

O ano letivo 2016/2017 foi o quinto consecutivo do projeto “O meu PORTO é Património Mundial” e envolveu 783 alunos e 21 professores de 16 escolas.

Já reconhecido pela UNESCO como uma boa prática no âmbito das dinâmicas educativas e formativas, o projeto é promovido pela Câmara do Porto e a Porto Vivo – Sociedade de Reabilitação Urbana.

A exposição ficará patente até 2 de junho no Museu do Vinho do Porto (Rua de Monchique, 98), de terça-feira a sábado entre as 10 e as 17,30 horas e ao domingo entre 10 e as 12,30 e entre as 14 e as 17,30 horas.

Source: http://www.porto.pt/noticias/porto-mostra-o-patrimonio-mundial-visto-pelas-criancas

Dicas · Vale a pena visitar...

Noshi: Um café que é um jardim na Baixa do Porto


O Noshi privilegia a ligação à natureza e a alimentação saudável, imagens de marca do projeto que quer ser uma alternativa à oferta na cidade.

Logo ao entrar, salta à vista a filosofia do espaço. Ambiente intimista, ligação com a natureza, tudo convida a relaxar. Ao atravessar o corredor que nos leva às mesas, vislumbra-se o pátio interior repleto de plantas suspensas. O Noshi é verde e quer ser uma espécie de jardim na Baixa do Porto, onde pode tomar pequenos-almoços, lanches e almoços. Às sextas e sábados também se pode jantar.

Ana e Paula Fernandes, mãe e filha, criaram uma alternativa ao que existe na cidade. Carnes de porco e vaca não entram, mas servem-se carnes brancas, salmão, anchovas, frutas, pudim de chia e alguns produtos sem glúten, como a quinoa, pratos de bulgur, couscous, massa integral ou arroz selvagem.

Para pequenos-almoços e lanches há o especial da casa, que varia diariamente (3,50 euros), papas ou panquecas de aveia, ambas com leite vegetal, açaí com frutas, iogurte, mel e granola, entre outros. Têm sempre uma sugestão de almoço (mais sopa, refresco do dia e café) por 8,90 euros várias hipóteses na ementa, como pasta integral, peito de frango assado, pesto, queijo feta, tomate cereja e lâminas de queijo parmesão, couscous, salmão fumado, legumes grelhados, tomate cereja e molho de iogurte e hortelã.

Há numerosas “tostas do outro mundo”, doces ou salgadas (3,20 a 6,50 euros), tábuas de enchidos (de carnes brancas) e queijo. Está ainda a ser planeado um menu de brunch. Para acompanhar, água aromatizada com frutos, mazagran ou vinho a copo.

Imagem de marca é também o café homónimo, expresso ou de filtro, desenvolvido propositadamente para este projeto. Disponíveis no Noshi estão os chocolates Cavalier (sem açúcar, substituído por Stevia), e 23 chás da Tea Tales. Noshi porquê? Paula faz um bolo de noz e chia e lembrou-se do nome ao juntar as duas palavras. Ao pesquisarem na internet, descobriram ser uma expressão japonesa que significa boa sorte e boa esperança. Nascia o nome desta aventura.

Source: Revista Evasões