Tags

, ,


Sobre a Obra:

A foto circula nas redes sociais: um informático israelita de 25 anos desapareceu no aeroporto Charles de Gaulle. Foi visto pela última vez no Terminal 2, acompanhado por uma mulher vestida de vermelho. Poucas horas depois já os telejornais franceses abrem com a notícia. E os serviços secretos israelitas reúnem-se de emergência.

O rapto – porque é de um rapto que se trata – vai desencadear uma série de acontecimentos nos dois lados do Mediterrâneo. Em Paris, um coronel israelita da Unidade 8200, que por acaso vinha no mesmo avião da vítima, começa a investigar. Em Telavive, uma bela e inexperiente oficial tenta perceber porque é que um informático irrelevante se tornou de repente uma ameaça à segurança nacional.

Sem nunca se encontrarem, os dois agentes vão tornar-se aliados numa corrida contra o tempo: têm apenas 24 horas para descobrir o paradeiro do jovem – que é perseguido também por um misterioso comando chinês.

O Espião Israelita é o thriller mais vendido em Israel nos últimos anos. A um ritmo frenético, pontuado por capítulos breves que alternam diferentes pontos de vista, Dov Alfon põe no papel tudo o que ele próprio aprendeu nos serviços de segurança israelita.

O antigo editor do mais prestigiado jornal de Israel – sabe-se hoje – serviu durante anos na célebre Unidade 8200 e, segundo consta, terá mesmo participado na Operação Ópera, que levou à destruição dos reatores nucleares iranianos.

Sobre o Autor:

Dov Alfon, que cresceu em França e Israel, é um ex-espião da Unidade 8200, a divisão mais secreta das Forças de Defesa de Israel. Foi também diretor do mais influente jornal israelita, Haaretz, ao serviço do qual recebeu várias distinções, incluindo o prémio Media Para a Paz (Peace Through Media), atribuído pelo International Council for Press and Broadcasting. O seu primeiro romance, O Espião Israelita, foi um enorme sucesso da crítica e comercial em Israel, e está traduzido em 12 países. Atualmente está em curso a adaptação para uma série de televisão, levada a cabo pela produtora Keshet International, responsável por sucessos como Segurança Nacional. O autor vive atualmente em Paris, a partir de onde continua a colaborar com o jornal Haaretz. É ainda o CEO da Storyvid.io, uma organização sem fins lucrativos que fundou juntamente com o escritor Etgar Keret e cujo objetivo é aproximar a literatura dos novos media. É casado e tem três filhas.