Tags

, ,


Sobre a Obra:

Joan Marés vê-se traído e abandonado pela sua bela, rica e elegante mulher. Em consequência disso torna-se um andarilho que ganha a vida tocando acordeão nas Ramblas. Obcecado por recuperar a sua exmulher, Joan Mares vai-se tornando Juan Faneca. Na ânsia por reconquistá-la, reinventa-se a si mesmo na figura de um impostor, um charnego típico e marginal. O que começa como uma aventura grotesca e improvável não tarda a tornar-se uma sátira irónica e feroz sobre a dualidade social e linguística catalã, agravada pelas diferenças de classe. Este romance recebeu o Prémio Ateneo de Sevilha.

Sobre o Autor:

Juan Marsé (1933-2020) nasceu em Barcelona e passou a infância e juventude no bairro popular de Gracia.
Entre os 13 e os 26 anos trabalhou como operário numa oficina de joalharia.
A sua carreira literária começou em 1959, ano em que começou a publicar crónicas em revistas literárias e em que obteve o Prémio Sésamo de contos. Desde então publicou diversas obras, muitas delas premiadas: “Últimas Tardes com Teresa” (1966; Prémio Biblioteca Breve 1965), “Se Te Dicen que Caí” (1973, edição definitiva 1989; Prémio Internacional de Romance México), “La Muchacha de las Bragas de Oro” (1978; Prémio Planeta 1978), “Ronda del Guinardó” (1984; Prémio Ciudad de Barcelona), “El Amante Bilingue” (1990; Prémio Ateneo de Sevilha), “O Feitiço de Xangai” (1993; Campo das Letras 1995; Prémio da Crítica e Prémio Aristeion) e “Rabos de Lagartixa” (2000; Campo das Letras 2003; Prémio da Crítica e Prémio Nacional de Literatura, ambos em 2001). Foi ainda galardoado com o Prémio Juan Rulfo 1997 e o Prémio Internacional Unión Latina 1998. ” Em 2008 foi-lhe atribuído o Prémio Cervantes.