Tags

, ,


Sobre a Obra:

Apenas uma coisa interessa. Foi ele?
Antes das alegações finais, um jovem réu de origem africana despede o seu advogado e decide contar a sua história, defendendo-se da acusação de homicídio em primeiro grau.
Explica que o advogado lhe disse que tinha de deixar algumas partes da história de fora, porque às vezes a verdade é demasiado difícil de explicar e pouco verosímil. Mas com a sua voz única, e criando imensa empatia no leitor, ele decide contar a sua história, toda a verdade.
Existem oito provas contra si. O narrador desmonta cada uma delas, deixando a sua vida nas nossas mãos. O leitor, que é como um membro do júri, tem de decidir se o seu narrador é culpado ou inocente.

«Um drama jurídico original que põe o leitor no lugar do júri. Extraordinária ficção centrada nas personagens. Uma obra de mestre.» Guardian
«Espantosamente original, impressionante, escrito de forma esplêndida.» Daily Mail
«Uma viagem de montanha-russa.» Guardian
«Um drama jurídico original e impressionante.» The Times
«Nunca vai conseguir adivinhar o final.» The Sun
«Escrito na perfeição, agarra o leitor desde a primeira frase, com aquela voz ímpar do arguido, e não o larga até à surpreendente reviravolta no final.» Daily Express
«Nunca leram nada assim.» Financial Times

Sobre o Autor:

Imran Mahmood é advogado de defesa com mais de 20 anos de experiência. A sua especialidade são casos de crimes violentos, assim como fraude e crimes sexuais. Nasceu em Liverpool e vive em Londres com a mulher e a filha.