Tags

, ,


Sobre a Obra:

Tatiana Ivanovna dedicou a sua vida aos Karine, que ajudou a nascer e a criar na opulência e no luxo ao longo de duas gerações. Agora que a Revolução Russa triunfou, é ainda a velha serva que continua até ao último momento a defender a propriedade da família e a velar sozinha pelo que resta dos seus bens. Até que o dever mais uma vez lhe impõe que atravesse a pé o país e se junte aos seus amos em fuga.

No pequeno e escuro apartamento de Paris onde agora vivem, os Karine partilham o destino de tantos outros nobres exilados russos que procuram adaptar-se à sua nova vida e sobreviver por todos os meios possíveis, exaustos e confusos como moscas de Outono. Só Tatiana, demasiado velha para mudar, está determinada a não querer esquecer o passado…

Publicado originalmente em 1931, quando Irène Némirovsky contava apenas 28 anos, As Moscas de Outono vem contribuir decisivamente para o aumento do seu prestígio enquanto autora, referida pelo New York Times como sucessora de Dostoiévski pela sua capacidade para refletir sobre a moralidade e as contradições da vida.

Sobre o Autor:

Ucraniana de origem judaica, Irène Némirovsky nasceu em Kiev, em 1903, e conheceu o sucesso aquando da publicação do seu primeiro romance David Golder (1929), consolidado com Le Bal (1930). Após a derrota da França em 1940, refugia-se numa aldeia do Morvan, antes de ser detida pela polícia francesa e, em seguida, deportada para Auschwitz e assassinada, no Verão de 1942. Com treze anos, Denise, a sua filha mais velha, leva na sua fuga uma mala com uma dolorosa relíquia: o derradeiro manuscrito da sua mãe, inédito durante décadas. Recuperado e publicado em 2004, Suite Francesa depressa foi considerado pela crítica como uma obra-prima da literatura, tendo-lhe sido atribuído o Prémio Renaudot 2004.