Tags

, ,


Sobre a Obra:

O livro que desperta o desejo de aprender e conhecer a matemática.
Pastor persa do século XIII, Beremiz Samir, exímio no exercício da arte de calcular, é o protagonista deste livro. O enredo ambienta-se no exotismo do Médio Oriente, mesclando aspetos da cultura islâmica, da herança grega e de outras grandes culturas, e reflete com fascinante realismo o clima filosófico, religioso e social da época. No universo narrativo encontramos curiosos problemas e enigmas matemáticos e lógicos, aparentemente complicados mas sempre iluminados pela simplicidade dos raciocínios que lhes proporcionam solução. A ação termina com a tomada de Bagdade pelos Mongóis, em 1258, marco histórico que assinala o fim da hegemonia árabe no Médio Oriente.
O Homem Que Sabia Contar impôs-se como um verdadeiro clássico, uma espécie de As Mil e Uma Noites com várias e lúdicas aventuras dedicadas à Matemática, para aprendizagem e divertimento dos leitores de todas as idades, mas especialmente do público juvenil.

Sobre o Autor:

Malba Tahan é o pseudónimo de Júlio César de Mello e Souza (1895-1974), um professor e autor de múltiplos talentos, entre eles o de contador de histórias tradicionais, que foi acima de tudo um pedagogo visionário, preocupado em refletir sobre os métodos de ensino. Assinando com o seu próprio nome, ou sob o pseudónimo Malba Tahan – que poderíamos considerar como um heterónimo, tão real foi a existência ficcionada deste duplo do autor – Júlio César de Mello e Souza escreveu 69 livros de contos e 51 de matemática. O interesse despertado por O Homem Que Sabia Contar não cessou desde a sua publicação, tendo já atingido dezenas de edições no Brasil e contando com um vasto número de traduções em todo o mundo.